Tico Santa Cruz, Pabllo Vittar e Clara Averbuck

Tico Santa Cruz e Pabllo Vittar:

Tico Santa Cruz, pela segunda vez teve seu facebook invadido e sua página adulterada com posts ofensivos e a foto do Bolsonaro. O mesmo aconteceu a Pabllo Vittar em seu canal do YouTube – tendo seu principal vídeo deletado.




Com clara tentativa de relacionar os eleitores do Bolsonaro a estes fatos dantescos, nos trazem dúvidas a superfície: O facebook e o YouTube tem uma plataforma de segurança multi-nível, com PIN via sms (mensagem de celular), avisos via e-mail e até bloqueio temporário da conta. Como que, em menos de 48 horas, os queridinhos da esquerda, tiveram suas mídias sociais invadidas?

Seria a mesma pessoa incompetente que administra, tanto a página do Tico como o canal do Pabllo? Estariam os dois facilitando tal ataque com senhas fracas? Os responsáveis por suas redes sociais estariam facilitando o ataque? Ou é apenas uma False Flag para causar euforia na mídia, aumentar seus números de seguidores e inscritos e ridicularizar a imagem do Bolsonaro e seus eleitores?

Ressalto ainda o fato de que tais ataques aconteceram 24 horas após a divulgação da foto da Inês Brasil (ícone LGBTs) com Bolsonaro no aeroporto de Campinas, causando grande revolta em seus seguidores e ataques verbais cruéis e descabidos.




 

Clara Averbuck

Clara Averbuck, escritora, blogueira, escreve para Revista Fórum e carta capital, feminista, relatou em seu facebook que foi abusada sexualmente dentro da Uber, porém não vai denunciar a polícia.

Sem saber o nome do abusador e tipo de carro, em seu vídeo ela diz que não se pune estuprador com castração química, pois não é somente com pênis que se estupra.



Ela só esqueceu de falar que a castração química acaba com o desejo sexual e portanto o estuprador não tem o ímpeto de estuprar. Talvez por ignorância ou por desonestidade, ela não repassou essa informação. Finaliza defendendo que punição e pena de morte para estuprador não é o caminho.

A mesma não acredita em denúncia formal, apenas em denúncia do facebook como mostra o vídeo abaixo.

Essa seria mais uma fanfic de feminista ou um caso real?

Clara lançou uma campanha: #MeuMotoristaAbusador

 






Deixe uma resposta