Superior Tribunal de Justiça (STJ) manda soltar Joesley, Saud e outros delatores presos na Operação Capitu

Spread the love

O ministro Nefi Cordeiro, relator o caso no STJ, entendeu que as prisões foram ilegais. Os empresários deixaram a sede da PF em São Paulo,na segunda-feira (12).

O ministro acolheu o pedido da defesa e determinou a soltura dos delatores do Grupo J&F, Joesley Batista, Ricardo Saud, Florisvaldo Oliveira e Demilton Castro, presos na semana passada pela Polícia Federal. O relator do caso entendeu que a prisão foi ilegal. Por volta das 20h deste segunda-feira, 12, empresários deixaram a sede da Polícia Federal, São Paulo, onde passaram o fim de semana.

A decisão foi tomada após o ministro ter mandado libertar o ex-ministro da Agricultura Neri Geller e o ex-secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura Rodrigo Figueiredo, que também haviam sido presos na Operação Capitu, deflagrada na última sexta-feira, 9. Tanto no caso deles como no dos colaboradores da J&F, o ministro do STJ entendeu que a alegação de omissão por parte dos delatores premiados não é motivo para a prisão.

Os advogados do empresário Walter Santana Arantes também entraram com um Habeas Corpus no STJ pedindo a soltura do seu cliente. Catão Alves, Carlos Alberto Arges e Virgínia Afonso conseguiram nesta tarde no STj decisão liminar de soltura. De acordo com os advogados Arges e Virgínia Afonso“ houve excesso nas ordens de prisão baseada em um relatório de investigação policial infundado e fantasioso , partindo de uma delação premiada sem qualquer prova fática”.

*Com informações e imagens do Estado de S.Paulo.

Deixe uma resposta