Governo Bolsonaro anuncia que terá 22 ministros; 7 ministérios serão extintos

Spread the love

O Ministério do Trabalho será extinto e incorporado a outras três pastas.

O futuro ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, anunciou nesta segunda-feira (3) a estrutura do governo Bolsonaro, com sete ministério amenos, como prometido em campanha. O ministério do trabalho vai ser extinto e desmembrado em três pastas.

Os outros ministérios são: Agricultura; Ciência, Tecnologia e Comunicação; Relações Exteriores; Defesa; Educação; Saúde; Turismo; Infraestrutura,que vai cuidar de Transportes; Desenvolvimento Regional, uma fusão dos ministérios da Integração Nacional e Cidades; Advocacia-Geral da União e Banco Central, estes dois com status de ministério, Casa Civil, Secretaria Geral,Secretaria de Governo e Gabinete de Segurança Institucional, como já é hoje.Economia, fusão dos ministérios da Fazenda e Planejamento, vai também agregar a Receita Federal, e parte do atual Ministério da Indústria e Comércio Exterior; Justiça e Segurança Pública; Cidadania, que é uma fusão de três pastas: Esporte, Cultura e Desenvolvimento Social. O Ministério do Trabalho vai ser extinto e incorporado por esses três ministérios. Transparência, que hoje é a Controladoria Geral da União; Minas e Energia; Meio Ambiente; e Direitos Humanos, que vai incluir as políticas para as mulheres.

Segundo informações do G1, Onyx Lorenzoni explicou que o setor de concessões de registros sindicais, que é alvo de investigações por suspeita de corrupção, ficará nas mão de Sérgio Moro:

“aquela secretaria que cuida das cartas sindicais que foi foco de problema e vocês mesmos acompanharam isso e sabe o quanto nós tivemos, o país teve de problemas nesta secretaria. Ele vai estar sob controle do Dr. Moro, exatamente pra gente combater um foco de muita dificuldade, de muito problema, que é a concessão de carta sindical”.

Em nota oficial, o Ministério do Trabalho afirmou que o desmembramento da pasta é inconstitucional e acaba com um dos palcos de interlocução entre os trabalhadores e os empregadores.

TAGS: #Ministério do Trabalho #Ministros do Bolsonaro #Governo Bolsonaro

Deixe uma resposta