Delação de Palocci promete fim do PT

No depoimento, Palocci especificou valores, as empresas que pagavam as propinas e a forma como o dinheiro chegava ao seu destino. Lula, Dilma e Gleisi Hoffmann foram os mais implicados na delação. Sua promessa foi cumprida… Ele destruiu o PT


A delação inclui um novo personagem: o motorista que transportava Palocci e o levava até Lula.

Palocci citou as empresas e forneceu o nome do motorista que fazia o transporte do dinheiro e as senhas que Lula usava na hora de se referir aos pagamentos das propinas. Apresentando datas, horários e locais que o dinheiro era entregue, Palocci garante que Lula recebeu em mãos R$10 milhões em dinheiro vivo através de Brani, assessor direto de Palocci. Paulo Okamotto, muitas vezes, foi o receptor da propina. As senhas para Okamotto eram: “resolve com o Okamotto” e “o Okamotto vai lhe procurar”.

As necessidades de Lula

Lula foi o político mais mencionado na delação. Palocci detalhou ocasiões em que foi pessoalmente levar pacotes de dinheiro vivo ao ex-presidente.

Segundo a Revista Isto É, esse dinheiro, de acordo com o depoimento de Palocci, servia para o ex-presidente custear suas próprias despesas. Os valores milionários estavam depositados na conta do pseudônimo “amigo” – refere-se a Lula nas contas da Odebrecht – no setor de propinas da empresa citada.

A conta, em determinada época, somou R$ 40 milhões para atender as necessidades do ex-presidente. A conta só podia ser movimentada com a autorização de Palocci, o “italiano” segundo a lista de pseudônimos da Odebrecht.

O dinheiro era uma contrapartida á facilitação das operações da Odebrecht no governo Dilma, com que Marcelo não tinha uma boa relação.

Palocci ressalta que entre o final de 2013 e início de 2014, sacou da conta “Amigo” R$ 4 milhões para cobrir um rombo nas contas do instituto Lula.

Além dos valores exorbitantes acima citados, o ex-ministro afirma que Lula combinou com o patriarca da empresa, Emílio Odebrecht, um “pacote de propinas” no valor de R$ 300 milhões para que o ex-presidente e Dilma utilizassem sempre que fosse preciso. O dinheiro foi usado, sobretudo, na campanha de 2014. Os recursos também eram para pagar as palestras fictícias de Lula. Ainda segundo a revista Isto É, a empresa LILS recebeu R$ 30 milhões de empreiteiras a título de conferências não realizadas.

Somente durante a criação da Sete Brasil, em 2010, foram desviados R$ 153 milhões, dos quais 50% foram para atender Lula.

A Sete Brasil foi construída para produzir sondas de exploração de petróleo para a Petrobras, com a participação da Odebrecht, OAS e UTC. Somente seis sondas da Sete Brasil custariam US$4,8 bilhões, com o pagamento de 1% dos contratos em propinas, inclusive para o bolso de Lula, identificado nessa operação como “sapo barbudo” por Pedro Barusco, ex-gerente da Petrobras e dirigente da Sete Brasil.

Sobre a operação Kadafi, morto em 2011, enviou ilegalmente R$1 milhão para a campanha de Lula em 2002.

 

Dilma

Palocci afirma que participou de um esquema que levou R$ 50 milhões de reais da Braskem (empresa do grupo Odebrecht), no processo de renegociação de dívidas com a União. A propina foi acertada em 2009, no então governo do ex-presidente Lula e o ex-ministro da fazendo Guido Mantega, nos gabinetes do Palácio do Planalto. O dinheiro foi usado na campanha de 2010.

Segundo a Revista Isto É, o acerto fora feito na presença de Dilma e a mesma não impôs resistência ou contrariedade.

Segundo Palocci, Lula disse: “o Palocci está aqui, Gabrielli, porque ele vai lhe acompanhar nesse projeto, porque ele vai ter total sucesso e para que garanta que uma parcela desse projeto financie a campanha da Dilma”.

Palocci afirma que Dilma atuou para atrapalhar as investigações da Lava-Jato.

Gleisi Hoffmann (PT)

 

Outro esquema fora montado para irrigar propina para a atual presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann. De acordo com Palocci e informações da Revista IstoÉ, o PT havia recebido R$ 50 milhões para ajudar na anulação das provas da Operação Castelo de Areia no Supremo Tribunal de Justiça. O dinheiro foi repassado ao partido pela empreiteira Camargo Corrêa. Parte da propina foi destinada a campanha da Gleisi Hoffmann.

 

As malas de diamantes de Sérgio Cabral

 

Sérgio Cabral, ao invés de usar malas para guardar o dinheiro proveniente da corrupção, comprou pedras preciosas, hoje depositadas em um banco em Nova York. Palocci sabia do esquema.

As pedras possivelmente foram transportadas nos jatinhos de Eike Batista e um segundo jatinho, cujo o dono é Andre Esteves, do BTG, na qual Sérgio Cabral tinha o costume de utiliza-los para idas e vindas a Nova York.

 

O destino de Palocci

Além de se comprometer a devolver pelo menos R$ 50 milhões dos R$ 81 milhões que sua empresa, a Projeto, teria recebido irregularmente entre 2007 e 2015. Agora seu destino está nas mãos do desembargador Gebran Neto, que logo decidirá se homologa ou não a delação. Porém, antes de qualquer decisão, o desembargador submeteu o acordo ao MPF de Porto Alegre, sob a coordenação da procuradora Maria Emília Corrêa Dick. O prazo se encerrou dia 24.05.

Crise entre o Ministério Público Federal e a Policia Federal.

 

As relações de ambas instituições estão estremecidas. A delação de Palocci foi acertada com os delegados da PF sem qualquer participação do Ministério Público Federal, o que provocou uma crise entre as instituições. O MPF considerou os relatos de Palocci insuficientes. A PF, contudo, considerou que a delação estava estruturada em fatos consistentes, com provas substâncias e caminhos percorridos pelo dinheiro da propina.


About Camila Abdo

Jornalista (MTB - 0083932/SP; Associação Brasileira de Jornalista -ABJ- 2457) , com cursos nas áreas de jornalismo digital, jornal impresso, fundamentos do jornalismo, jornalismo investigativo, assessoria de imprensa e comunicação interna. Estudante de direito (Unip) e história (Anhanguera), possuo diversos cursos de especialização na área de psicologia/psicopatologia, entre eles: urgências psiquiátricas, perícias criminais, psicopatologia da infância e adolescência, transtornos de personalidade, terapia cognitivo-comportamental, psicanálise: teoria e técnica, gestalt terapia, criminologia, sexualidade - normal e patológica, psicofarmacologia, psicologia forense, neuroanatomia, abuso sexual infantil, predadores sexuais, psicologia social e violência doméstica, enfermagem em saúde mental, medicina legal e psicologia penitenciária. Certificado INBOUND pela HUBSPOT ACADEMY. Meu canal: https://www.youtube.com/c/CamilaAbdoCalvo

View all posts by Camila Abdo →

Deixe uma resposta