Abortista confessa cortar a garganta dos fetos para que eles não possam gritar

As informações pertencem ao site CBN, sendo este material de tradução livre, portanto sem direitos autorais meus ou de qualquer outro site que reproduza a matéria em tradução livre. 

Os direitos autorais pertencem única e somente a CBNNEWS.COM 

A obstetra Leah Torres é uma ativista pró-aborto, ligada à Planned Parenthood – A clínica que vendia os órgãos de bebês abortados.

‘Nasty Woman OB/GYN’ Admits She ‘Silences’ Fetuses So They Won’t Scream

‘Mulher nojenta OB/GYN’ admite que ela silencia os fetos para que não gritem

 




Dr. Leah Torres is a self-proclaimed “Nasty Woman OB/GYN” promoting healthy sexual practices and education. The political activist and general “do-gooder” has the pro-life community in an uproar with her gruesome statements outlining how she “silences” the child during the abortion procedure.

Dr. Leah Torres (ginecologista-obstetra norte-americana )é uma auto-proclamada “Nasty Woman OB / GYN” que promove práticas sexuais saudáveis ​​e educação (planejamento familiar e direitos reprodutivos). O ativista político e general “do-gooder” tem a comunidade pró-vida em alvoroço com suas declarações horríveis, descrevendo como ela “silencia” a criança durante o procedimento de aborto.

A médica é ligada à Planned Parenthood, maior movimento pró-aborto do mundo. Também é uma conhecida ativista feminista e uma porta-voz do chamado “movimento pró-escolha”. – Informação minha.

According to a report by Lifesite earlier this week, Dr. Torres tweeted, “You know fetuses can’t scream right? If transect the cord first so there’s really no opportunity, if they’re far enough along to have a larynx.”

De acordo com um relatório da Lifesite no início desta semana, a Dra. Torres disse: “Você sabe que os fetos não podem gritar direito? Se você transeccionar a primeira corda, então não há oportunidade, se eles estiverem grande o suficiente para ter uma laringe “.

The tweet has since been taken down.

O Twitter já retirado.

The gory comments have people like citizen journalist David Daleiden taking to Twitter to decry her disturbing statements.

The activist known for going undercover to expose Planned Parenthood for selling parts of unborn babies says:

O nojento comentário levou pessoas, tal como o jornalista David Daleiden levando ao Twitter para desmentir suas declarações perturbadoras.

O ativista conhecido por se disfarçar para expor a Planned Parenthood por vender partes de bebês não nascidos diz:

A CMP não acabou fazendo uma visita secreta do @ppacutah em parte porque os médicos do aborto eram os únicos que realmente me assustavam. Obrigado @LeahNTorres pelo lembrete muito honesto.

Some call it an attempt at dark humor. But Kristan Hawkins, president of Students for Life of America, isn’t buying it. “The tweet reveals the callousness and complete disregard for human life that is the hallmark of the abortion industry,” Hwakins said. “Joking about killing pre-born babies reflects the lack of respect for human dignity.”

Alguns chamam isso de tentativa de humor negro. Mas Kristan Hawkins, presidente da Students for Life of America – Estudantes pela vida da América – , não acredita nisso. “O tweet revela a insensibilidade e total desrespeito pela vida humana que é a marca da indústria do aborto”, disse Hwakins. “Brincadeiras sobre a morte de bebês pré-nascidos reflete a falta de respeito pela dignidade humana”.

Patrina Mosley, director of Life Culture and Women’s Advocacy at the Family Research Council, is not buying the ‘dark humor’ angle, either. “Her cold portrayal is more proof that the abortion industry is pro-death.” Mosley said. “It not only takes the life of a child but it deadens the heart to feel compassion. Realities like this explain why more Americans are becoming pro-life.”

Patrina Mosley, diretora da Life Culture e Women’s’s Advocacy do Family Research Council, também não está comprando o ângulo do “humor negro”. “Seu retrato frio é mais uma prova de que a indústria do aborto é pró-morte”, disse Mosley, acrescentando que “isso não apenas tira a vida de uma criança, mas também faz com que o coração sinta compaixão”. Realidades como essa explicam por que mais americanos estão se tornando pró-vida ”.

Dr. Alveda King says we shouldn’t be surprised by these comments because news sources have been reporting for years about these atrocities showing “that radical abortionist Leah Torres is not an exception to the rule of the cruelty of abortion; she’s a macabre leader.”

A Dr. Alveda King diz que não devemos nos surpreender com esses comentários porque as fontes de notícias têm reportado há anos sobre essas atrocidades mostrando que “a abortista radical Leah Torres não é uma exceção à regra da crueldade do aborto; ela é uma líder macabra.”

According to King, Torres’ comments and actions put her in the company of other infamous abortion doctors. “Torres is among the ranks of the now infamous Gosnell House of Horrors, where until apprehended, abortionist Kermit Gosnell snipped the spinal cords of his victims and kept their hands and feet as trophies.”

De acordo com King, os comentários e ações de Torres a colocaram na companhia de outros médicos infames em aborto. “Torres está entre as fileiras do agora infame A casa de horrores de Gosnell, onde até ser preso, o abortista Kermit Gosnell cortou as medulas espinhais de suas vítimas e manteve suas mãos e pés como troféus.”

King added the church and society should be aware that “these occultist practices are not rare or even uncommon and are often rooted in ancient satanic ritual practices.”

But not everyone sees Torres as a monster.

King acrescentou que a igreja e a sociedade devem estar cientes de que “essas práticas ocultistas não são raras ou mesmo incomuns e muitas vezes estão enraizadas em antigas práticas rituais satânicas”. Mas nem todo mundo vê Torres como um monstro.

Abby Johnson, president of And Then There Were None, says she is not quick to condemn Dr. Torres because she knows all too well the horrors of the industry. “Dr. Torres will come under fire and be vilified for her statements by many, but not by me. Having worked in the abortion industry myself, I know how hearts can be hardened and dark humor is used as a way to cope with the reality of what you are doing.”

Abby Johnson, presidente da And Then There Were None, diz que não irá em condenar a Dra. Torres, porque ela conhece muito bem os horrores da indústria. “Dra. Torres ficará sob fogo e será vilipendiada por suas declarações por muitos, mas não por mim. Tendo trabalhado na indústria do aborto, sei como os corações podem ser endurecidos e o humor negro é usado como uma maneira de lidar com a realidade do que você está fazendo.”

Johnson, who has helped hundreds of workers leave the abortion industry, including seven doctors, says she welcomes Dr. Torres with open arms. “We care, and we would love to help her find a new job and healing from her time working in the abortion industry.”

Johnson, que ajudou centenas de trabalhadores a deixar a indústria do aborto, incluindo sete médicos, diz que recebe a Dra. Torres de braços abertos. “Nós nos importamos, e nós gostaríamos de ajudá-la a encontrar um novo emprego e curar seu tempo trabalhando na indústria do aborto.”

Others, like Johnson who says “I will pray for her,” point to the real problem, saying this is a matter of the heart.

Outros, como Johnson, que diz “vou orar por ela”, apontam para o verdadeiro problema, dizendo que isso é uma questão do coração.

Father Frank Pavone, national director of Priests for Life, agrees that there is a place of redemption for Dr. Torres and others who find themselves working in the abortion industry. “As I have learned by working to help many former abortionists find healing, when they dehumanize their victims, they also dehumanize themselves. Both of these things are obvious in this abortionist’s heartless comments.”

O padre Frank Pavone, diretor nacional da organização Padres pela vida, concorda que existe um lugar de redenção para a Dra. Torres e outros que se encontram trabalhando na indústria do aborto. “Como aprendi trabalhando para ajudar muitos ex-aborteiros a encontrar a cura, quando desumanizam suas vítimas, eles também se desumanizam. Ambas as coisas são óbvias nos comentários sem coração da abortista”.

Pavone thinks “it is good that the public is hearing these words for themselves. Let them be shouted from the rooftops, so that we can break the denial in our society about how horrific abortion is.”

Pavone diz “é bom que o público esteja ouvindo essas palavras por si mesmos. Deixe-os gritando dos telhados, para que possamos quebrar a negação em nossa sociedade sobre como o aborto é horrível “.

Pavone added, “Hearing these disturbing things is the first step towards repenting of them.”

Pavone acrescentou: “Ouvir essas coisas perturbadoras é o primeiro passo para se arrepender delas”.

 

Clique aqui e CONHEÇA A TRAGÉDIA DOS ABORTOS QUE NASCERAM VIVOS

 

“Não. Você sabe que os fetos não podem gritar, certo? Eu corto as cordas vocais deles primeiro, para não terem essa oportunidade, caso já estejam desenvolvidos o suficiente para terem laringe”. Na mesma mensagem disse que não “arrancava úteros”, mas fazia “procedimentos médicos”.

 

 

“E eu lamento o post, mas lamento pelas pessoas que não conseguem deixar de lado o seu ódio e sua ignorância para conseguir enxergar o bem maior”.

Com informações de CBN

Refutando todos os argumentos abortistas: 

About Camila Abdo

Jornalista (MTB - 0083932/SP; Associação Brasileira de Jornalista -ABJ- 2457) , com cursos nas áreas de jornalismo digital, jornal impresso, fundamentos do jornalismo, jornalismo investigativo, assessoria de imprensa e comunicação interna. Estudante de direito (Unip) e história (Anhanguera), possuo diversos cursos de especialização na área de psicologia/psicopatologia, entre eles: urgências psiquiátricas, perícias criminais, psicopatologia da infância e adolescência, transtornos de personalidade, terapia cognitivo-comportamental, psicanálise: teoria e técnica, gestalt terapia, criminologia, sexualidade - normal e patológica, psicofarmacologia, psicologia forense, neuroanatomia, abuso sexual infantil, predadores sexuais, psicologia social e violência doméstica, enfermagem em saúde mental, medicina legal e psicologia penitenciária. Certificado INBOUND pela HUBSPOT ACADEMY. Meu canal: https://www.youtube.com/c/CamilaAbdoCalvo

View all posts by Camila Abdo →

Deixe uma resposta